Pesquisar este blog

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Superprovas - software para resolução de provas de concursos

http://www.superprovas.com/




Disponível em: http://www.superprovas.com/

Por que resolver questões é fundamental?

A busca por melhores salários, estabilidade, menor carga horária de trabalho e possibilidade de crescimento profissional tem levado cada vez mais os brasileiros a optar pela carreira pública. Por isso, o nível de concorrência nos concursos aumentou, assim como aumentou também o nível de dificuldade nas provas. Neste contexto, é muito importante o concurseiro se preocupar com as técnicas de estudos e ferramentas que serão adotadas visando tornar mais eficiente o processo de aprendizagem e consequentemente melhorar seu rendimento nas provas. O processo de preparação para concursos públicos envolve três aspectos, todos igualmente importantes:

1. Estudo Teórico.
2. Planejamento.
3. Resolução de Questões.

Todo concurseiro experiente sabe o quanto é importante resolver questões constantemente. Muitos candidatos ainda cometem o erro de resolver poucas questões ou só resolver questões próxima a data da prova. Saiba quais são as 7 razões pelas quais é recomendável que você resolva bastante questões:
  • 1 Conhecer melhor a banca.
  • 2 Direcionar os estudos.
  • 3 Ajudar na memorização dos conteúdos.
  • 4 Avaliar o desempenho.
  • 5 Gerenciar melhor o tempo.
  • 6 Obter mais autoconfiança.
  • 7 Desenvolver as inteligências lógico-matemático e linguística.
A resolução de questões deve ser realizada tanto na fase inicial de estudos, quando o candidato está vendo pela primeira vez uma matéria, quanto na fase posterior de revisão ou realização de simulados. Portanto, lembre-se sempre: resolver questões terá um papel importante e decisivo no seu projeto de passar em um concurso público, podendo agilizar a sua tão sonhada aprovação.

Como funciona

O Superprovas é um programa de computador desenvolvido para ajudar os concurseiros a resolver questões. Este software permite que você responda as questões diretamente no computador de uma maneira fácil e bem mais rápida do que responder no papel. Com os recursos de seleção disponíveis você encontrará rapidamente as questões que está procurando. Com os recursos de visualização (fontes,cores) você poderá personalizar a tela de acordo com sua preferência. O uso de ícones animados e feedback sonoros tornará seu estudo mais lúdico e divertido.

Além disso, o Superprovas é uma poderosa fonte de informação atualizada constantemente: são mais de 280 MIL QUESTÕES de concursos anteriores separadas por matérias e assuntos. Teste agora a versão de demonstração ou continue lendo para saber mais sobre os benefícios do Superprovas.


Três dicas secretas para o Excel

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


As pessoas no escritório conhecem você como um cara muito bacana: calmo, amigável e sempre pronto para ajudar no que for preciso. Mas tudo isso pode mudar quando o novo cara do gerenciamento entrar em plena sexta-feira à tarde com algumas tarefas "fáceis" relacionadas àquele documento do Microsoft® Excel® no qual ele estava trabalhando.

Primeiro de tudo, ele quer remover todas as imagens de uma coluna, para que fiquem somente os dados "reais". Ah! E além disso, você terá de inserir uma nova coluna, que vincula os valores à misteriosa coluna "X", e manter o formato dessa coluna. Você já deve saber que essa é provavelmente alguma piada do RH, porque quem inventaria a ideia de nomear uma coluna de Excel de X? Para piorar, ele quer que você corresponda o nome das pessoas na planilha com o departamento ao qual estão associadas.

Antes de ir embora, ele diz que precisa de tudo pronto no final do dia, todas as 10.000 linhas.
Então, antes de se descontrolar de raiva no teclado, vamos tentar e ver o que o Excel tem para ajudar você com esse sofrimento de editar manualmente cada linha. Abaixo, há três dicas secretas do Excel que podem salvar sua sanidade.

Dica 1: Como remover todas as imagens

Quando se trata de imagens no Excel, existe uma regra simples: Não utilize imagens! Elas dão dores de cabeça além da imaginação e reduzem sua expectativa de vida em 29%.

O motivo pelo qual tenho essa regra é que as imagens não são classificáveis, elas incham o tamanho do arquivo, e basicamente você precisa editar cada uma delas para ter o que precisa, e se você quiser se livrar delas, você terá de se desdobrar.

Mas às vezes ficamos nessa situação infeliz descrita acima e temos de lidar com as imagens em Excel. Em sua defesa, alguns poucos desenvolvedores inteligentes na Microsoft se importam sim com sua saúde e implementaram um recurso engenhoso para excluir todas as imagens de uma só vez.

Digamos que sua planilha seja parecida com esta:


Etapa 1: Pressione a tecla F5 para abrir a caixa de diálogo "Ir para" no Excel.
Etapa 2: Clique no botão “Especial” para acessar as opções da caixa de diálogo.
Etapa 3: Clique no botão de opção “Objetos” e em “OK”.


Etapa 4: Agora todas as imagens devem estar selecionadas na planilha atual, conforme a imagem abaixo.


Etapa 5: Pressione a tecla Delete para excluir todas elas.

Embora este seja um recurso ótimo para economizar tempo, esteja ciente de que você selecionou “Todos os Objetos”, que significa todas as imagens, gráficos, etc. Se sua planilha apresenta tais objetos, é melhor remover a seleção delas manualmente antes de pressionar a tecla "Delete". Caso contrário, elas ficam perdidas no vácuo, e você precisa confiar nos mal-humorados companheiros Ctrl-Z, também conhecidos como "comando desfazer", que podem ou não dar uma mãozinha. Depende muito da ação que você executou no intermédio.

Agora que consegui resolver o problema da imagem com facilidade, vamos dar uma olhada na misteriosa coluna "X" que você precisa dobrar.

Dica 2: Usar colar especial

Deixe-me apresentar a poderosa função colar especial. Esse recurso está tão recheado de opções que ajudam você a manusear dados em seu cache de Excel, que ele pode se tornar seu melhor amigo e sua arma secreta na batalha pela sanidade ao lidar com planilhas gigantes em Excel.

O Excel proporciona uma maneira bem simples de colar links e manter o formato da coluna copiada. Saiba como:

Etapa 1: Marque as células na coluna “X” e copie-as usando Ctrl-C
Etapa 2: Agora selecione uma coluna vazia, no nosso caso “D2” e pressione o botão direito do mouse.


Etapa 3: Em seguida, marque a primeira célula (no nosso caso C2) e pressione o botão direito do mouse.
O menu Colar Especial surge, como abaixo:



Etapa 4: Clique em "Colar vínculo".

Pronto! O conteúdo das células da coluna X agora está vinculado às células que começam em "D2". Assim como acontece com os vínculos, quando você inserir alguma coisa em, por exemplo, "B3", o conteúdo da célula "D3" vinculado também será atualizado, tornando fácil manter consistência entre as colunas automaticamente.

A coluna “X” ainda deve estar marcada, o que significa que temos os dados em cache na memória.

Novamente, selecione a célula “D2” e pressione o botão direito do mouse, depois selecione o menu colar especial.
Agora selecione o botão de opção “Formatos” e pressione OK.


Com isso, a nova coluna deve ficar parecida com a original e você se livrou de várias dores de cabeça e aspirinas.


Como disse, colar especial tem outros inúmeros comandos úteis, que descreverei em alguns dos próximos artigos. Nesse meio tempo, tente você mesmo ver que tipo de mágica ele pode fazer.

Dica 3: Fórmula PROCV

Com dois de três obstáculos vencidos e sua pressão sanguínea quase de volta ao normal, a probabilidade de um fim de semana antecipado acabou de decolar para 74%. Parabéns! Agora você precisa enfrentar apenas o último obstáculo: a função ProcV.

Em geral, o ProcV se torna um amigo legal assim que você o conhece, mas como acontece com as outras coisas na vida, você precisa aprender a lidar com os atributos obscuros. Ah! E caso você esteja se perguntando o que o V de "ProcV" significa, ele significa "Vertical". E como você pode supor, no Excel existe também um ProcH, que significa "horizontal".
Eis as instruções para usá-lo em seu favor.

Etapa 1: No exemplo acima, seus amigos do RH incluíram os nomes e os departamentos associados em outra planilha do Excel com nomes de colunas "reais, como abaixo:


Etapa 2: Insira a célula em C2 e insira a fórmula =PROCV(A2;Admin!A:B;2;0)


Etapa 3: Se tudo der certo, você verá o nome do departamento "Serviços" nessa célula.
Mas dar a fórmula para você sem explicar o que ela faz é como trair você. Mas, olhe bem, você está no caminho certo para seu verdadeiramente merecido fim de semana, e ninguém poderá lhe deter. Mas se você quer mesmo saber, a descrição da fórmula PROCV é:

=PROCV(procurar_valor, tabela_matriz, coluna_índice_número, intervalo_procurar)

Tudo bem, mas o que isso significa realmente? Bem, traduzido para o português seria algo assim:
PROCV (encontre esse valor, nessa tabela, retorne o valor na coluna x da tabela, mas retorne um resultado somente se o valor for exatamente correspondente)
  1. procurar_valor: Que valor você quer procurar? No meu exemplo, o nome do usuário está em A2 e é necessário encontrar o nome do departamento na planilha admin que está em B2.
  2. tabela_matriz: De onde obtemos nossos dados? Nesse caso, está na planilha Admin. O intervalo dos nossos dados está entre as colunas A e B.
  3. coluna_índice_número: Que coluna possui o valor que você deseja que retorne? Nesse exemplo, os nomes dos departamentos estão na segunda coluna da tabela de pesquisa.
  4. [intervalo_procurar]: Se nós queremos uma correspondência exata, escolhemos 0 ou FALSO e se desejamos um valor aproximado, escolhemos 1 ou VERDADEIRO. Isso é um pouco confuso, então deixe-me explicar resumidamente: "mas retorna um resultado somente se o valor for exatamente correspondente", isso significa que dizemos ao Excel que queremos que os dados retornem somente se eles atenderem exatamente aos nossos critérios. Nesse caso, encontre “Richardson” em nossa tabela de nome de departamento, e se não for possível encontrar exatamente o que pedi, retorne um erro. O erro exibido será #N/D.
  5. Mas se dissemos ao Excel que tudo bem, que não é necessário encontrar a correspondência exata, ele retornaria o próximo melhor resultado, o que significa que se “Richardson” não estivesse em nossa tabela, o Excel retornaria o próximo melhor resultado. Isso pode ser bastante útil, mas por enquanto vamos ficar com a correspondência exata.
Portanto, com a última dificuldade fora do caminho, você pode enviar o seu trabalho para o seu colega do gerenciamento (depois disso, ele vai ser seu melhor amigo), desligar o computador e ir embora do escritório com um sorriso, porque você conseguiu ficar calmo e fazer um ótimo trabalho.

Tudo graças a algumas dicas espertas sobre como dominar o Microsoft Excel.

*Todas essas dicas se baseiam no Microsoft Office Excel 2010 (Windows), mas outras versões do Excel oferecem funcionalidades idênticas ou parecidas (os menus e o desempenho podem ser diferentes). Microsoft e Excel são marcas registradas da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e em outros países.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Migração para o Windows 8

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Sempre que um sistema operacional novo é instalado, ocorre uma pausa coletiva. Será que vou ter que reaprender completamente a interagir com meu computador? Será que ele vai deixar de ter tudo o que eu gosto no meu sistema operacional atual e substituir por algo novo?

Felizmente, para os usuários que vão fazer a migração do Windows® 7 para o Windows 8, a resposta a ambas as perguntas é “não”. Mas, para as empresas que ainda estão usando o Windows XP — e são muitas — a transição vai exigir alguma adaptação.

Por que tanta agitação?
No fundo, o que o Windows 8 faz é abraçar a mudança para a tecnologia de toque. Os atalhos de mouse e teclado estão sendo rapidamente substituídos por uma tela de toque e aplicativos. Os dois cliques e o movimento de clicar e arrastar ainda continuam, mas vai chegar a hora em que passar o dedo, juntar os dedos e tocar serão movimentos universais.

Parece assustador? Mas não é, não. Sim, o Windows 8 aproveita os recursos da tela de toque e apresenta uma interface totalmente diferente, mas não descarta totalmente o jeito antigo de fazer as coisas. Aprender a usar um novo programa ou sistema leva tempo, e o Windows 8 não é diferente nesse aspecto, mas pode ter certeza de que você não vai ter que começar do zero.

Sai o antigo, entra o novo
Muitas empresas só fizeram a migração para o Windows 7 recentemente e, na realidade, vão passar mais dois a cinco anos até resolverem atualizar os PCs. Isso sem falar que muitas empresas estão bem satisfeitas com o Windows 7.

Além disso, o Windows 7 estará disponível para compra por pelo menos mais dois anos, e terá suporte da Microsoft até janeiro de 2020. Assim fica maior ainda o desafio de tentar convencer os departamentos de TI a mudar o sistema operacional.

Mais do que uma simples atualização
Diz a sabedoria popular: melhor não mexer em time que está ganhando. Certo? Não necessariamente. É importante ressaltar que o Windows 8 não se trata simplesmente de uma atualização do sistema operacional; é um jeito diferente — e melhor — de fazer negócio. À medida que cada vez mais pessoas levam o trabalho na estrada junto com elas, elas precisam de um sistema operacional que funcione tão bem no desktop quanto no dispositivo móvel.

Se existe um momento para abraçar (e incentivar) os hábitos do trabalho móvel, este momento é agora. Não se trata de dizer que as pessoas não podem fazer o trabalho móvel com o Windows 7 ou com sistemas operacionais anteriores; mas no Windows 8 elas poderão dispor de mais recursos móveis.

sábado, 2 de novembro de 2013

Proteção contra crimes cibernéticos

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


O Estudo sobre o Custo dos Crimes Cibernéticos em 2012, conduzido pelo Ponemon Institute e patrocinado pela HP, constatou que a ocorrência de ataques cibernéticos mais do que dobrou em um período de três anos – enquanto o impacto financeiro aumentou em quase 40 por cento.

O estudo revelou que o custo anual de crimes cibernéticos (usando uma amostra referencial de mercado com empresas americanas) foi enorme: 8,9 milhões de dólares, um aumento de 6% em relação ao custo médio relatado em 2011, e um aumento de 38% em relação a 2010. O estudo de 2012 também constatou um aumento de 42% no número de ataques cibernéticos, com uma média de 102 ataques bem-sucedidos por semana (comparado com 72 por semana em 2011, e 50 por semana em 2010).

São números significativos para qualquer empresa, mas particularmente perturbadores para pequenas empresas, as quais simplesmente não têm condições de arcar com as despesas, o tempo e a energia despendidos para responder e solucionar esses ataques. O estabelecimento de protocolos avançados de segurança é a melhor maneira de ajudar a combater esses ataques, mas os protocolos podem ser caros para pequenas empresas com orçamentos menores para implementação.

Ajuda para PMEs

Sendo assim, o que uma empresa pequena pode fazer? A FCC (Comissão Federal de Comunicação dos EUA) elaborou um ótimo guia de planejamento cibernético especialmente dirigido a pequenas empresas, com dicas de especialistas sobre o que as pequenas empresas podem fazer para combater esses ataques. Temos aqui um resumo para ajudar a manter sua empresa segura.

Conheça o que você tem

Antes de ter condições de proteger sua empresa, você precisa de uma lista completa do que deseja proteger. Primeiro, considere os tipos de dados que você tem na empresa: alguns são naturalmente mais sigilosos e valiosos que outros. Seus dados podem incluir dados de clientes, como registros de contas, informações financeiras/transacionais, informações de contato, histórico de compras etc., e informações de funcionários, como arquivos de folha de pagamento, informações de depósito direto, números da previdência social e outras informações pessoais.

Em seguida, pense em como seus dados estão sendo protegidos no momento. O guia da FCC afirma que é comum os especialistas em segurança dizerem que o maior risco para os dados é quando eles estão em movimento. Pense nisso. Se todas as informações comerciais ficassem em um único computador ou servidor não conectado à internet e essas informações nunca saíssem de lá, seria fácil gerenciá-las.

Mas todos sabemos que não se trata de uma expectativa realista. Para que os dados tenham valor, eles devem ser usados – e isso significa movimentá-los. Todas as PMEs deveriam dispor de diretrizes padrão sobre como cada tipo de dado deve ser tratado e protegido, de acordo com o local onde está e quem está usando esses dados.

A essa altura, é importante pensar em quem tem acesso a seus dados e por quê. Afinal de contas, nem todo mundo precisa saber de tudo. Atribua direitos de acesso a seus dados conforme a necessidade, e decida como essas informações serão gerenciadas. Depois de identificar seus dados, mantenha um registro da localização deles e movimente-os conforme a necessidade para garantir que estejam em segurança.

Proteja sua privacidade

A privacidade é importante para o sucesso dos negócios e dos clientes. Defina uma política de privacidade abrangente sobre as informações coletadas e o que fazer com elas, e publique essa política no seu site para que seus clientes e parceiros vejam.

A política deve tratar de dados como informações de identificação pessoal (PIL); pessoa; informações de saúde; e informações do cliente. Precisa de orientação? O Better Business Bureau oferece às PMEs um kit de ferramentas de privacidade nos negócios que pode ser gratuitamente baixado e usado.

Proteja os dados coletados

Os dados coletados no seu site – desde informações pessoais até históricos de transações e pagamentos – devem ser protegidos, quer você seja dono dos servidores, quer seu site seja hospedado utilizando serviços de terceiros. A melhor maneira de fazer isso é criando camadas de segurança que incluam senhas e criptografia. As senhas têm que ser aleatórias, complexas e longas (pelo menos 10 caracteres), modificadas com frequência e guardadas em sigilo.

A criptografia tem preço acessível, é fácil de usar e muito eficiente para proteção de dados – e alguns softwares de criptografia são gratuitos. Você pode usá-la para proteger um disco rígido inteiro, uma pasta específica em uma unidade, ou um documento. Só use métodos de criptografia de dados com certificação FIPS (Padrão Federal de Processamento de Informações) e compatíveis com protocolos de segurança do governo federal.

Prepare-se para o pior

Acima de tudo, não se iluda com a falsa sensação de segurança, achando que a sua pequena empresa está imune a ataques cibernéticos. Em 2010, o Serviço Secreto Americano e a unidade de análise forense da Verizon Communications Inc. responderam a 761 violações de dados. Dessas, 482, ou 63%, ocorreram em empresas com 100 funcionários ou menos. E, em 2011, a Visa estimou que cerca de 95% das violações de dados em cartões de crédito descobertas acontecem com clientes de empresas menores.

Para obter mais informações e ter uma visão mais abrangente sobre o que sua empresa pode fazer para se proteger, a Online Trust Alliance oferece um guia completo de preparo contra violações de dados, e a Federal Trade Commission também oferece um guia. Vale a pena dar uma olhada nos dois para ajudar sua empresa a se proteger.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

O que levar em consideração na hora de escolher um notebook

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios

Os notebooks são similares a remédios comuns para gripe: alguns agem rápido e outros duram bastante tempo. Com notebooks, no entanto, é possível personalizar as peças e as especificações da máquina. Como consequência, é importante saber quais são os "ingredientes" principais e o quanto de cada um deles será necessário para satisfazer suas necessidades, agora e no futuro. A primeira pergunta que você deve fazer a si mesmo é: para que usarei o notebook?

Tamanho
É aí que está: tamanho não importa. Sim, o notebook menor, mais fino e mais leve é ultraportátil. Mas também ultralimitado em desempenho e no que ele pode fazer. Essas máquinas são básicas, adequadas para tarefas simples como digitar textos, navegar na Internet e ler e-mails. Se você não precisa de nada além disso, um desses "netbooks" seria ideal para você. Por outro lado, notebooks excessivamente grandes, com telas maiores e imagens em resoluções mais altas, são muito mais do que substitutos do desktop - não é recomendável se quiser carregá-lo com você no dia a dia. Com a configuração correta, contudo, eles podem ser adequados para suas necessidades gráficas exigentes. A maior parte dos usuários optará pelo perfeito equilíbrio entre tamanho e desempenho.

Processador (CPU)
O processador determina a velocidade com que o notebook executará aplicativos e tarefas. Procure um notebook que tenha um processador com dois núcleos, já que apresentam excelentes capacidades multitarefas. Processadores com três a quatro núcleos terão melhor poder de desempenho, principalmente em se tratando de aplicativos exigentes, como os de edição de vídeos. Contudo, a maioria dos usuários não aproveitam as vantagens dessa potência absoluta.

Memória (RAM)
Na linguagem dos computadores, a "memória" tem um significado um pouco diferente daquele com o qual estamos acostumados, embora ambos tenham o mesmo nível de importância. Quanto mais memória seu notebook tiver, mais aplicativos poderão ser executados de uma vez e melhor será o desempenho da máquina. Notebooks com 2 GB de RAM são ideais, junto com a opção de adicionar mais memória. Os notebooks pré-carregados com mais memória existem, mas é melhor adquirir um notebook com menos RAM, para começar, e adicionar mais posteriormente se achar que o desempenho do computador está deixando a desejar. Incluída desde o início ou adicionada com o passar do tempo, uma maior quantidade de RAM estende a vida útil do notebook. Apenas certifique-se de que a configuração interna permite atualização.

Disco rígido

Quanto maior o disco rígido, mais dados poderão ser armazenados no notebook. Até mesmo os menores notebooks oferecem 80 GB de espaço de armazenamento, o que seria suficiente para trabalhar com e-mails, bancos de dados, planilhas e outros documentos de trabalho. Se você instala todos os programas gratuitos que se depara, usa o computador para armazenar vídeos e fotografias e baixa várias músicas e filmes, você deve optar por um disco rígido maior – de, no mínimo, 500 GB. Além dos tamanhos diferentes, os discos rígidos também apresentam diferentes velocidades. Os discos rígidos giram em velocidades que variam entre 5.400 e 10.000 RPM, com as velocidades mais rápidas obviamente proporcionando acesso mais rápido aos dados. Um disco rígido rápido tem capacidade de aprimorar o tempo que leva para abrir um programa ou iniciar o Windows®, mas somente de forma marginal. Até mesmo a maior parte dos discos de 5.400 RPM costumam funcionar bem para a maioria dos usuários, mas um de 7.200 RPM seria o ideal, se possível. Usuários que fazem questão de um bom desempenho devem procurar discos rígidos de 10.000 RPM.

Vida útil da bateria
Para realmente aproveitar as vantagens da mobilidade de um notebook, verifique se ele tem vida útil de bateria suficiente para evitar ter dores de cabeça tentando encontrar uma tomada. Baterias com seis ou nove células são os tamanhos comuns para notebooks. Baterias com 12 células também estão disponíveis. Quando maior a bateria, mais tempo ela durará. Ao mesmo tempo, quanto maior o notebook, mais energia será necessária para alimentá-lo.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Bases de dados para pesquisas acadêmicas.

Para ajudá-lo em suas pesquisas acadêmicas, compilei essa lista de bases de dados:

Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações
http://bdtd.ibict.br/

Biblioteca Digital Mundial
http://www.wdl.org/pt/

Biblioteca Digital da Central de Cursos da Universidade Gama Filho
A Biblioteca Digital da Central de Cursos da Universidade Gama Filho é um serviço de extensão universitária que disponibiliza gratuitamente para a população a totalidade dos acervos digitais de texto completo de bibliotecas de 1.435 universidades, artigos de 48 mil periódicos científicos, além dos bancos de dados de centros de pesquisa, bibliotecas nacionais e órgãos governamentais de 62 países, através da participação no consórcio internacional OAI - Open Archives Initiative.
http://www.posugf.com.br/biblioteca/

Biblioteca Digital da Unicamp

http://cutter.unicamp.br/

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP
http://www.teses.usp.br/

Biblioteca Digital do Congresso (USA)
http://www.loc.gov/index.html

Biblioteca Digital do Senado Federal
http://www2.senado.gov.br/bdsf/

Biblioteca Nacional Digital
http://bndigital.bn.br

Biblioteca Virtual de Educação - BVE
Aqui você vai encontrar uma seleção de sites educacionais organizados em 4 grandes categorias, divididas em sub-categorias.
http://www.inep.gov.br/pesquisa/bve/

Biblioteca Virtual em Saúde
http://regional.bvsalud.org/php/index.php

Biblioteca Virtual em Saúde (Psicologia)
http://www.bvs-psi.org.br/php/index.php

Domínio Público
http://www.dominiopublico.gov.br

Networked Digital Library of Theses and Dissertations (NDLTD)
http://www.ndltd.org/

Portal de Periódicos da Capes
http://www.periodicos.capes.gov.br/

Portal de acesso livre da CAPES
http://acessolivre.capes.gov.br/

SciELO Brasil - Scientific Electronic Library Online
Coleção de revistas e artigos científicos. Possui uma grande variedade de temas relacionados à filosofia, com artigos completos disponíveis para download.
http://www.scielo.br

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Instituições que oferecem bolsas de estudo e pesquisa

Disponível em: http://www.usp.br/ccint/bolsas1005.pdf

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
COMISSÃO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL - CCINT

Alexander Von Humboldt Foundation (AvH)
Bolsas para pesquisadores estrangeiros na Alemanha.
www.humboldt-foundation.de

American Association of University Women
Bolsas para estudos e pesquisas nos EUA, para mulheres não-americanas e não residentes nos Estados Unidos.
www.aauw.org

AMCHAM International Fellowship Program
Bolsas para mestrado em áreas aplicadas à indústria.
www.amcham.com.br/educação/aifp.html

Agência Espanhola de Cooperação Internacional
Bolsas para mestrado nos Estados Unidos.
www.aeci.es

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes)
Bolsas para cursos de graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado no Brasil e no
exterior.
www.capes.gov.br

Centro Franco-Brasileiro de Documentação Técnica e Científica (Cendotec)
Bolsas para pesquisa de pós-doutorado na França.
www.cendotec.org.br

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Bolsas desde iniciação científica até pós-doutorado no Brasil e no exterior.
www.cnpq.br

Center for International Mobility (Cimo)

Auxílio para docentes universitários e pesquisadores de pós-graduação na Finlândia
www.cimo.fi

Comissão Fulbright

Bolsas para mestrado e doutorado em todas as áreas do conhecimento.
www.fulbright.org.br

Conselho Britânico (The British Council)
Bolsas para cursos do Reino Unido.
www.britishcouncil.org.br

Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub)
Divulgação de bolsas para pós-graduação oferecidas por entidades nacionais e estrangeiras
www.crub.org.br

Consulado Geral da França
Bolsas para pesquisas de pós-doutorado na França, em convênio com Capes e CNPq.
www.cendotec.org.br e www.recherche.gouv.fr

Consulado Geral do Japão
Bolsas para brasileiros para cursos de mestrado e doutorado no Japão. Também oferecem
bolsas para graduação e para professores dos ensinos fundamental e médio.
www.abmon.pcs.usp.br

Consulado Geral da Suíça
Bolsas concedidas pelo governo suíço para brasileiros em áreas prioritárias para o
desenvolvimento do país.
http://www.sbf.admin.ch/htm/index_de.php

Embaixada da Argentina no Brasil (Programa Mutis)
Bolsas para mestrado e especialização em universidades argentinas.
www.me.gov.ar/becas ou www.ses.me.gov.ar/paies

Embaixada da Austrália
Bolsas concedidas pelo governo da Austrália para mestrado e doutorado com pesquisa
acadêmica. Devem ser solicitadas diretamente nas universidades australianas.
www.embaixada-australia.org.br

Embaixada da Áustria

Bolsas concedidas pelo governo austríaco para trabalhos de pesquisa ou estudos de
doutorado
http://www.bmeia.gv.at/pt/embaixada/brasilia.html

Embaixada do Canadá

Bolsas para diversos programas. Os interessados devem entrar em contato diretamente
com as universidades canadenses.
www.iccs-ciec.ca

Embaixada da Itália

Bolsas de pós-graduação para brasileiros que desejam realizar cursos de especialização e doutorado em pesquisa, em todas as áreas.
www.murst.it ou www.esteri.it

Embaixada de Portugal
Bolsas para pesquisadores em nível de mestrado e doutorado, além de cursos de
especialização.
www.instituto-camoes.pt

Embaixada da Suíça
Bolsas para pós-graduação e doutorado. O interessado deve entrar em contato com a
universidade suíça de sua escolha.
http://www.eda.admin.ch/brasilia

Fundação Alexander S. Onassis
Bolsas de pesquisa e aperfeiçoamento no ensino da língua e cultura grega e/ou criação
artística na Grécia.
www.onassis.gr

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp)
Bolsas de iniciação científica a pós-doutorado no Brasil e no exterior.
www.fapesp.br

Fundação Estudar
Bolsas para cursos de graduação e mestrado no Brasil e no exterior.
www.estudar.org.br

Fundação Ford
Bolsas para mestrado e doutorado no Brasil e no exterior. A seleção privilegia candidatos do Norte e do Nordeste, negros e índios.
www.programabolsa.org.br

Fundação Internacional Matsumae
Bolsas para doutores estrangeiros que queiram realizar pesquisa nas áreas de ciências
naturais, engenharia e medicina, no Japão.
www.mars.dti.ne.jp/~mif

Fundação Nieman
Bolsas para jornalistas com pelo menos três anos de experiência.
www.nieman.harvard.edu

Fundação Volkswagen

Bolsas para jovens pesquisadores em universidades na Alemanha.
www.volkswagen-stiftung.de

Guggenheim Memorial Foundation
Bolsas para pesquisa e criação artística em qualquer país.
www.gf.org/portug.htm

Harvard Alumni Club
Bolsas para Harvard.
www.hbs.edu/mba/apply/financialaid/index.html

Hubert H. Humphery Fellowship Program
Bolsas de aperfeiçoamento profissional nos EUA.
www.iie.org.br/pgms/hhh

Instituto Camões
Bolsas para mestrado, doutorado e cursos de especialização voltadas para o estudo da
língua e da cultura portuguesa.
www.instituto-camoes.pt

Instituto Renvall
Bolsas para doutorado na área de estudos culturais na universidade de Helsinque,
Finlândia. www.helsinki.fi/hum/renvall

Ministério da Educação do Japão

Bolsas para cursos no Japão
http://www.mext.go.jp/english/

Ministério das Relações Exteriores
Divulgação de informações sobre bolsas de estudos oferecidas por organismos
internacionais, órgãos estrangeiros públicos e privados e agências estrangeiras de fomento ao desenvolvimento.
www.cer.mre.gov.br

Nuffic – Organização Holandesa para Ensino Superior
Bolsas para pós-graduação em universidades holandesas.
www.nuffic.nl

Rotary Club

Bolsas para mestrado em diferentes áreas fora do país.
www.rotary.org.br

Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (Daad)
Bolsas para doutorado, pós-doutorado e especialização na Alemanha para brasileiros em
diversas áreas do conhecimento.
www.daad.de/rio

Vitae
Bolsas para aperfeiçoamento em música erudita no Brasil e no exterior.
www.vitae.org.br

WWF – Brasil Programa Natureza e Sociedade
Bolsas de apoio à pesquisa de mestrado e doutorado em ambiente.
www.wwf.org.br

sábado, 26 de outubro de 2013

Pense duas vezes antes de divulgar online sua localização

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Muitos alertas e notificações sinalizam seus movimentos da vida real para o mundo externo. Os aplicativos baseados em localização são ferramentas confiáveis para manter clientes, colegas e amigos atualizados sobre seu paradeiro. Contudo, antes de dar “Check in” em todos os lugares, o tempo todo, é importante pensar em quem exatamente pode acessar essa informação. Seus velhos amigos da escola? Aquele cara engraçado que você conheceu no aeroporto? As pessoas ligadas a eles?

É fundamental ter essa consciência para evitar as consequências de fornecer informações online demais sobre a sua localização. Considere esses possíveis riscos antes de configurar um e-mail ou uma notificação na mídia social informando a data das suas férias ou onde é a sua reunião para discutir uma fusão importante.

Publicação de fotos com identificação de local

Os recursos automáticos de identificação geográfica de smartphones e câmeras digitais podem ajudar você a se lembrar de onde exatamente as fotos foram tiradas. Os sites de compartilhamento de fotos compatíveis com integração de metadados geoespaciais rapidamente mapeiam e marcam cada local quando você faz upload das fotos.

É um recurso útil, em especial para fotógrafos e pessoas que viajam muito. Porém, quando você usa o smartphone para tirar fotos daquele banquete farto da festa na casa do seu chefe e publica as fotos via mídia social, você deve ter ciência de que as coordenadas do GPS com sua localização exata serão automaticamente compartilhadas. O grau do risco provavelmente depende do valor para a pessoa que vai ver as fotos. As fotos podem estar vinculadas à sua pessoa pública, à rede do seu chefe, ou às suas conexões profissionais em conjunto. Seja como for, convém tomar cuidado. Os perseguidores cibernéticos podem se transformar rapidamente em perseguidores na vida real depois que identificarem sua localização.

Procure evitar o uso da função de identificação geográfica quando for publicar fotos, em particular dentro de locais privados ou comerciais. Ou use uma ferramenta de remoção de metadados para excluir as informações integradas automaticamente antes de publicar fotos online.

Informar a localização na mídia social

Os aplicativos de identificação geográfica estão ficando cada vez mais conhecidos. Muita gente também opta por informar automaticamente a localização em cada publicação no Facebook e no Twitter. Não só é divertido, como em alguns casos pode ser muito útil para manter seus contatos sempre atualizados sobre onde você está.

O único problema é que pessoas mais suspeitas também podem querer saber. O melhor é desativar o recurso de identificação de localização no Twitter, em especial quando ocorrer alguma reunião de negócios confidencial, durante visitas a clientes importantes, ou quando você estiver em casa. Embora perseguidores perigosos também possam conseguir usar um aplicativo simples para saber exatamente de onde você está twittando, é melhor não divulgar seu endereço com identificação de localização quando for publicar no Twitter.

Assim, quanto mais você puder dificultar para estranhos o acesso a suas informações pessoais online, melhor. Caso esteja usando sites de mídia social compatíveis com serviços geográficos, tome as devidas precauções para controlar quem acessa essas informações.

Detalhes em resposta automática de ausência do escritório

No que se refere a respostas automáticas de ausência de escritório, uma típica opção padrão pode oferecer detalhes valiosos a criminosos oportunistas. Seu nome completo, o número de telefone do escritório e o nome do colega que estará no seu lugar são informações que podem ser usadas para conseguir mais dados pessoais nas listas disponíveis publicamente. Já se sabe que pessoas que promovem ataques de engenharia social e quadrilhas que organizam furtos costumam enviar spams para coletar detalhes fornecidos nas mensagens automáticas de ausência de escritório.[1]

É claro que um filtro de spam pode ajudar a diminuir os riscos. Ainda assim, o melhor é remover sua assinatura de e-mail profissional e deixar sua mensagem bem concisa. O simples fato de dizer que você estará "indisponível" já informa ao remetente que você não poderá ler os e-mails naquele período específico, sem deixar vazar informações de identificação pessoal para as pessoas erradas. Opte por oferecer ao remetente uma outra pessoa para contato, pessoa essa que poderá revelar mais detalhes, se necessário. Dependendo do escopo do seu trabalho, outra opção é desativar a resposta automática para pessoas de fora da empresa.

Como na maioria das coisas da vida, não dá para evitar correr alguns riscos. Revele algumas informações, em sinal de respeito às pessoas que importam, mas não muitas, para não se tornar um alvo para os mal-intencionados. O segredo é tomar cuidado sobre como, quando e, em particular, para quem você divulga online sua localização.

[1] "Out of Office replies may cost you dearly" (Respostas Automáticas de Ausência de Escritório Podem Custar Caro"), ABC News

sábado, 19 de outubro de 2013

Fique esperto com a segurança

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Parabéns! Você já tomou todas as providências para proteger os dados das suas redes e PCs contra worms, cavalos de Troia e vírus cada vez mais mal-intencionados. Mas não relaxe. Todos os elementos da infraestrutura, incluindo impressoras, servidores, armazenamento, redes Wi-Fi e computação em nuvem são igualmente suscetíveis a ameaças de segurança. Se você não pensar neles, a noção de segurança não passará de um sonho.

Sejam eles criminosos querendo chantagear sua empresa, vândalos bem informados tecnicamente querendo aprontar, ex-funcionários vingativos ou mesmo concorrentes, todos os hackers possuem uma coisa em comum: eles querem atrapalhar suas operações de negócios para ganhar dinheiro, obter outras vantagens, ou simplesmente se divertir.

Então, o que você pode fazer? Leia algumas dicas preciosas para reforçar sua defesa geral de TI. Junto com treinamentos regulares para funcionários, esses indicadores podem ajudar você a detectar melhor e evitar ataques à segurança.

O que fazer e o que não fazer com a tecnologia móvel
Mais do que as grandes empresas, as pequenas empresas estão definindo ou implementando políticas de trazer o próprio dispositivo (BYOD) em relação a smartphones, tablets e outros dispositivos móveis. A natureza onipresente de tais produtos pode fazer com que as empresas pressuponham que as informações comerciais estejam em segurança com eles. Errado.

Seu departamento de TI é responsável pela proteção dos dados da empresa, onde quer que eles residam. O que fazer? Por um lado, as empresas devem estabelecer políticas firmes sobre quais dados são permitidos nos dispositivos de propriedade dos funcionários. Convém também avaliar a segurança relativa dos sistemas operacionais disponíveis para smartphones e talvez exigir que os dados sejam armazenados em um servidor aprovado ou na nuvem.

Armazenamento seguro e protegido
Servidores e dispositivos de armazenamento também apresentam um conjunto único de desafios. Os ataques de negação de serviço (DoS), por exemplo, podem sobrecarregar esses aplicativos que são executados na web e comprometer a largura de banda da rede, a memória, o uso da CPU e o espaço no disco rígido. Soluções como os servidores HP ProLiant G8 oferecem proteção e segurança a dados abrangentes e clientes.

Trabalhar sem fio
As redes Wi-Fi também não estão imunes a ataques de mentes criminosas. Considere estes perigos:

  • Números de identificação pessoal (PINs) fracos permitem que qualquer usuário acesse qualquer rede sem fio como bem entender. Uma pessoa mal-intencionada sentada no estacionamento com um notebook no colo pode invadir dados seus importantes.
  • Falhas de segurança possibilitam que usuários de rede sem fio fiquem bisbilhotando a rede uns dos outros.
  • Falhas de sistemas operacionais oferecem acesso fácil a um único computador — ou mesmo a uma rede inteira.

As primeiras etapas fáceis para proteger a rede incluem simplificar o gerenciamento da rede, implementar políticas de segurança BYOD claramente definidas e dificultar o acesso trapaceiro por Wi-Fi com serviços como as soluções de segurança de rede HP TippingPoint.

Considere a nuvem
É verdade que a nuvem melhora o acesso ao servidor, armazenamento e rede, e é menos cara do que os sistemas físicos. Mas, junto com a facilidade de acesso a dados, vêm sérias preocupações sobre sigilo. O monitoramento cuidadoso, o controle estrito de acesso e a criptografia de dados estão entre as melhores medidas de segurança, além do uso de nuvem empresarial privada, e não pública.

Afora a infraestrutura de TI, a simples segurança de senha é surpreendentemente subestimada na elaboração do plano geral de segurança. A maior complexidade de senha e o uso de logon único e de outras tecnologias é essencial.

Estar sempre à frente dos criminosos cibernéticos demanda um desenvolvimento detalhado das políticas e processos de segurança. Empresas proativas que elaboram planos de segurança abrangentes garantem melhor a própria segurança, integridade, reputação e lucro.

sábado, 28 de setembro de 2013

3 dicas para fazer uma apresentação de sucesso

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Sua audiência está na extremidade dos seus assentos, saboreando cada palavra sua. Eles se sentem conectados, inspirados e envolvidos. E mais, que nunca esquecerão a sua história. Isso soa muito bom para ser verdade? Mas não precisa ser. Na verdade, com algumas dicas e truques muito simples, você pode facilmente manter suas apresentações interessantes e inesquecíveis.

1. Seja autêntico
Honestidade e humildade percorrem um longo caminho. O fato de você está falando para uma audiência não significa que você tem de ser perfeito ou infinitamente experiente. Comece com algo com que o seu público pode se relacionar: a vida, como todos nós a conhecemos. Compartilhar alguns detalhes não específicos ou menos sensíveis sobre obstáculos ou falhas relacionados com o tema da apresentação pode facilitar a conexão com o seu público em um nível pessoal.

Basta ser você mesmo e deixar a sua própria voz e personalidade brilharem. Você não precisa ser rígido e conservador para parecer profissional. É muito mais fácil para o seu público ouvir uma história real contada por uma pessoa real que esperar até o final de uma apresentação formal.

Evite clichês e jargões técnicos, uma vez que essas frases tendem a perder o sentido quando são usadas em excesso. Em vez disso, tente encontrar maneiras mais originais para transmitir a sua mensagem. Em suma, mantenha-a natural e deixe que os outros aprendam com a sua experiência e erros.

2. Estimule a participação

As pessoas geralmente estão mais interessadas ​​em si que no que você tem a dizer. Deixe claro que o seu público pode se sentir livre para interrompê-lo para fazer comentários ou perguntas. Isso torna o fluxo da sua apresentação real e útil para o seu público específico e significa que eles podem participar ajudando você a fornecer as informações de que precisam. Pergunte regularmente se alguém tem dúvidas. Talvez o público não se sinta confortável para levantar as mãos em um determinado momento, portanto use tempo para repetir o seu convite para a conversa. Também planeje algum tempo após a sua apresentação para se envolver em uma discussão mais aprofundada como um grupo ou em um nível individual. Certifique-se de trocar alguns cartões de visita para ampliar suas novas conexões e continuar a conversa online e no futuro.

Mantenha sempre um contraste entre o status quo e o sonho que poderia ser: as pessoas se interessarão em atuar e participar quando você apresentar uma ideia que poderia tornar seus negócios (e suas vidas) melhores. A sua apresentação deve responder a esta questão a partir da perspectiva do público: “Qual a vantagem para mim?”

3. Simplifique
O seu público deve ser capaz de interpretar os slides nos primeiros três segundos e manter o foco no que você está dizendo ao mesmo tempo. Se isso demorar mais tempo, está muito complexo. Vivemos em uma era de excesso de informação – não o aumente.

Várias apresentações em PowerPoint são muito confusas e você não pode nem perceber que isso rouba a sua mensagem. Mais não é sempre melhor. Não coloque tudo em um slide. Atenha-se ao básico, pensamentos importantes (uma ideia ou pensamento por slide) e deixe o seu público completar o quadro maior em suas próprias mentes. É melhor não repetir o que o público pode ver por si mesmo no slide. Em vez disso, use notas laterais para ajudá-lo a lembrar o que você quer dizer e orientar o processo de pensamento da sua audiência.

Considere o uso de imagens em vez de texto para transmitir um pensamento principal: Se uma imagem fala mais que mil palavras isso pode ajudá-lo a transmitir uma melhor mensagem. Marcadores podem ser uma distração. Deixe que o público se concentre em sua voz em vez de ler listas. Isso significa mais preparação sua em vez de confiar em seus slides para transmitir informações – mas, claro, estar preparado é o segredo para fazer apresentações melhores.

Cada elemento no seu slide deve estar lá por uma finalidade. Não inclua qualquer coisa que não adicione à sua mensagem de uma forma simples, clara e concisa. Depois, termine com uma simples chamada para a ação que poderia levar a um ganho significativo ou recompensa, o que faz com que a adoção das suas ideias valha o esforço.

Apresentações mais pessoais podem fazer maravilhas quanto a envolver o seu público. Equilibre os fatos graves e figuras com algumas anedotas inspiradas em seu próprio estilo natural e veja por si mesmo como a sua confiança aumentará. Finalmente, se você estiver confortável e se divertindo, o público também estará.

sábado, 21 de setembro de 2013

Dicas de inglês: preposições

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Infelizmente, as preposições do inglês são irregulares e confusas para quem não é um falante nativo da língua. Mesmo assim, nós temos que usá-las o tempo todo, especialmente para dar informações, fazer perguntas ou traçar planos para o futuro.

As preposições que mais usamos são as que passam informações sobre “tempo” e "lugar". Vamos ver como você se sai nos testes que preparamos!

Estas frases usam preposições de tempo. Qual é a preposição certa em cada frase?
1. “I’m leaving at / on 31 July.”
2. “Please complete this at / by / until the end of business.”
3. “I’ve been waiting for / since two hours.”
4. “She’ll read it at / in / on the morning.”
5. “He moved to Tokyo before six months / six months ago / since six months.”

Agora, veja estas preposições de tempo comuns e confira se você entendeu as frases:

Ago: indica um tempo no passado: “I started working on this project two months ago.”

At: usada com “night”, “the weekend” e momentos específicos no tempo: “I went out at night”, “We’re travelling at the weekend”, “The meeting starts at 11:30”.

Before: indica o tempo anterior a um dado momento: “What did you do before joining this company?”

By: indica um prazo, ou o limite máximo de conclusão de algo: “Please finish your report by Wednesday”, “By the time we got there, they had eaten all the chocolate”.

For: indica um período: “We will be there for three weeks”, “I’ve been waiting for two hours”.

From ... to: marca o início e o fim de uma extensão de tempo: “He’ll be there from Tuesday to Friday / from 11 to 12 / from March to November.”

In: usado para meses e estações do ano, períodos do dia (exceto para “night”), anos e para indicar um certo período: “I went there in February / in the spring/winter/summer/autumn/”, “We always play tennis in the morning/afternoon, evening”, “She was born in 2001”, “I’ll meet you in two and a half hours”.

On: indica uma data ou um dia da semana: “I will send you the invoice on Friday” (mas veja bem: “I will send you the invoice next Friday", e não “on next Friday”), “See you on the 30th!”

Past: para dizer as horas: “It’s ten past three.” (= 3:10)

Since: indica um período que vai de um momento no passado até o presente: “I’ve been here since last Monday”, “Their office has been in Tokyo since 1994”.

Till/until: indica quanto tempo algo vai durar: “I’ll probably be in the meeting till 7:30”, “We’ll be working on the project until 2015”, “The office will be closed until further notice”.

To: para dizer as horas: “It’s ten to three.” (= 2:50)

Vamos às frases corretas:
1. “I’m leaving on 31 July.” (“On” com uma data)
2. “Please complete this by the end of business.” (“By” com um prazo)
3. “I’ve been waiting for two hours.” (“For” indicando um período)
4. “She’ll read it in the morning.” (“In” com um período do dia)
5. “He moved to Tokyo six months ago.” (“Ago” indica um tempo no passado)

E as preposições que indicam lugar? Qual é a preposição certa em cada frase?
1. “He’s on / at / in / by a conference.”
2. “I’ll meet you in / at Tokyo.”
3. “Take the turning at / by / on the right.”
4. “The hotel is at / in Regent Street.”
5. “Let’s go into / in the meeting now.”

Aqui vão algumas preposições de lugar comuns para você avaliar se entendeu as frases anteriores:

At: indica a localização de algo, mas sem dar detalhes específicos: “I’ll meet you at the office / at the station / at the clock / at the corner / at the roundabout / at the lift / at the front door / at the fair / at the restaurant / at your house.”

By: o mesmo que “beside” ou “next to”: “I’m standing by the shop at the corner”, “He put it by your computer on your desk”.

In: indica a localização de algo que está em um aposento, um prédio, uma rua, uma cidade ou um país: “I’m in my office / in my house / in Regent Street / in Paris / in Tanzania.”
“In” também indica um veículo fechado: “I’m in my car”, “He’s in a taxi” (mas veja “on” mais abaixo).
E “in” também é usado quando algo está contido em um texto: “It’s in my presentation”, “I read it in that book”.

Into: indica a ação de entrar em um lugar: “They went into the conference room”, “Please get into the taxi”.

On: indica quando as coisas estão em um lado, nível ou uma superfície específica: “Mirror, mirror on the wall”, “Please take the turning on the right (= lado direito)”, “The meeting room is on the third floor”, “I saw it on television / heard it on the radio”, “It was on my desk”.
Também usamos “On” com veículos maiores, que levam vários passageiros: “on a bus”, “on the train”, “on a plane”.

Onto: indica a ação de movimento para o topo de um lugar: “We went through the door onto the roof terrace”, “The cat jumped onto the table”.

To: indica movimento rumo a um destino: “We’re on our way to the meeting”, “I’m going to France”.

Towards: indica movimento na direção de algo: “Slowly but surely we’re moving towards our main goal”, “Take a few steps towards the door, please”, “She turned towards him”.

Agora, vejamos as frases corretas:
1. “He’s at a conference.” (“At” indica lugar sem detalhes específicos)
2. “I’ll meet you in Tokyo.” (“In” com o nome de uma cidade)
3. “Take the turning on the right.” (“On” indica o lado (lado direito))
4. “The hotel is in Regent Street.” (“In” com o nome da rua)
5. “Let’s go into the meeting now.” (“Into” indica a ação de entrar em um lugar)

Como você se saiu? Não se preocupe se tiver errado algumas frases, as preposições são difíceis! Esperamos que este artigo tenha ajudado. Boa sorte!

sábado, 14 de setembro de 2013

3 dicas novas para dominar o Excel

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Imagine que você é um gerente de vendas de uma grande cadeia de varejo na Europa. De repente, seu colega do financeiro ficou gripado bem no período do relatório de vendas mensais. Seu chefe precisa dos números na mesa dele amanhã de manhã e seu colega deixou um monte de dados bagunçados para você organizar. Parece que você terá que cancelar aquele jantar com seu amigo que planejou hoje.

Ou talvez não. Para sua sorte, você lembrou de algumas dicas de Microsoft® Excel® que podem ajudá-lo a ter esse trabalho feito em pouco tempo. Com algumas dicas espertas para organizar até mesmo a planilha mais desarrumada, você pode colocar a bagunça em ordem com menos estresse do que o esperado. Saiba como:

Dica 1: Texto para colunas

Digamos que você quer criar uma lista das lojas da empresa, com o local e a receita diária. Primeiro, importe um grande conjunto de dados do seu software de controle, que pode ser semelhante a isso:



É uma bagunça, mas não entre em pânico. Você não precisa ir de linha em linha e dividir o conjunto de dados em colunas separadas. O pessoal esperto da Microsoft resolveu isso e implantou no Excel uma ferramenta que o ajudará a limpar todos esses dados com apenas alguns cliques.

Etapa 1. Selecione a coluna com os dados.
Etapa 2. Vá para a faixa de opções “Dados” e clique em “Texto para colunas”.
Etapa 3. Clique em “Delimitado” e em “Avançar”.



Etapa 4. Escolha a marca que indica o final das colunas (em nosso exemplo usamos vírgula, então clique em “Vírgula”) e clique em “Concluir”.



O resultado obtido é uma tabela em ordem, pronta para mais edições:



Dica 2: Colar especial: “Transpor”

Agora é o momento de deixar a planilha mais legível para seu chefe.

Em artigos anteriores, descrevemos as possibilidades mágicas da função “Colar especial”, mas isso foi só o começo. Uma dica adicional para ajudá-lo neste caso seria a função “Transpor”, que poupa bastante tempo e nervos para qualquer um que já tenha enfrentado o problema de converter colunas em linhas ou vice-versa.

Vamos imaginar que você ainda esteja trabalhando com o mesmo conjunto de dados. Só que agora você quer que os locais das lojas sejam os títulos de coluna e a receita diária fique em linhas. Saiba como:

Etapa 1. Primeiro, selecione as células que deseja converter (neste exemplo, escolha todas as três colunas com os dados) e copie-as (Ctrl+C).
Etapa 2. Selecione a célula em que deseja colocar seus dados e pressione o botão direito do mouse.
Etapa 3. Escolha a função “Colar especial” na lista exibida.
Etapa 4. Clique em “Transpor” e em “OK”.



Este é o resultado obtido: uma planilha corretamente ordenada, que permite a seu chefe percorrer as lojas da esquerda para a direita e rolar para baixo para ver a receita ao longo do tempo.



Dica 3: Personalizar classificação

Você está quase lá, e o relógio está correndo. Mas seu chefe precisa dos dados apresentados de uma maneira bastante específica. Seu chefe pediu para que organizasse a receita com as três lojas melhor estabelecidas listadas no início. Isso significa que você precisa listar a loja principal primeiro, depois as duas lojas alemãs e todo o resto listado alfabeticamente.

Infelizmente, você não poderá usar a função “Classificar” padrão, já que os dados que deseja organizar estão em colunas (e não em linhas) e seu chefe não quer o relatório em nenhuma ordem padrão.. Parece que a única maneira é fazer tudo isso manualmente... Calma, não é assim! Há algumas possibilidades adicionais na função Classificar que podem economizar tempo, especialmente se você precisar reutilizar esta classificação personalizada em mais de uma tabela.

Etapa 1. Selecione os dados (sem a linha com os cabeçalhos) que deseja classificar.
Etapa 2. Vá para a faixa de opções “Dados” e clique na função “Classificar”.
Etapa 3. Clique em “Opções”, marque “Classificar da esquerda para direita”, e clique em “OK”.



Etapa 4. Escolha a linha a partir da qual você deseja organizar os dados.
Etapa 5. Na lista suspensa “Ordem”, escolha “Personalizar classificação”.



Etapa 6. Digite a nova ordem que deseja usar. Certifique-se de separar cada novo valor com uma vírgula. No nosso exemplo, a tabela ficará assim:



Etapa 7. Clique em “OK”.

Como consequência, você obterá o que segue. Como se poder ver, a loja principal está listada primeiro, seguida por Munique e Frankfurt, e depois todo o resto.



Timing perfeito: a planilha está correta e você tem tempo suficiente para ir jantar com seu amigo. Seu chefe o cumprimenta com gratidão à medida que você sai do recinto, mas você sabe que todo esse trabalho duro foi realizado com algumas dicas simples do Excel.


*Todas essas dicas se baseiam no Microsoft Office Excel 2010 (Windows), mas outras versões do Excel oferecem funcionalidades idênticas ou parecidas. (os menus e o desempenho podem ser diferentes). Microsoft e Excel são marcas registradas da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e em outros países.

sábado, 7 de setembro de 2013

Conheça os ultrabooks

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


A essa altura, você provavelmente já ouviu falar sobre Ultrabooks® como a opção mais recente em tecnologia portátil. Mas você sabe o que um Ultrabook é realmente? Ou como ele pode ajudar sua empresa? Os ultrabooks começaram a redefinir o que os laptops são e o que podem fazer no início de 2011. Continue lendo para saber mais sobre eles e descobrir se são uma boa opção para a sua empresa.

O que são ultrabooks?
Os ultrabooks da HP incluem todos estes recursos para uma experiência móvel tranquila e sem complicações:

  • Bateria de longa duração – Trabalhe sem interrupção.
  • Design elegante – Mostre o seu estilo sem sacrificar a substância nos mais finos EliteBooks HP já desenvolvidos.
  • Poder de processador – Tenha o poder com os processadores Intel® Core™ de terceira geração.
  • Pronto em segundos – Comece a trabalhar rapidamente com a tecnologia de cache flash e uma unidade de disco rígido de estado sólido. [1]
  • Várias portasConecte-se em mais formas sem comprometer o tamanho com HDMI, Ethernet e várias portas USB.
  • Segurança inteligente – Fique seguro de que as informações privadas permanecerão assim com antirroubo pré-instalado e tecnologia de proteção de identidade. [2]
Como eles podem ajudar minha empresa?
Os requisitos específicos para um Ultrabook listados acima significam que eles levam a computação móvel a um nível totalmente novo. Se os seus funcionários estiverem muitas vezes em viagem ou trabalhando remotamente, você será duramente pressionado para encontrar uma melhor solução para todas as suas necessidades fora do escritório.

Um Ultrabook é muitas vezes considerado o meio termo entre tablets e desktops, você tem a portabilidade extrema de um tablet leve além de todo o poder e a conveniência de um PC totalmente equipado. Devido a isso, você pode ficar conectado em seu escritório, na sala de reuniões ou do outro lado do mundo, sem sacrificar a produtividade. E com a mão-de-obra cada vez mais móvel atualmente, muitas empresas consideram esse benefício inestimável.

Qual melhor se adapta às minhas necessidades?
Há várias coisas a considerar ao se decidir qual Ultrabook é o mais adequado para a sua empresa.
  • Tamanho – Embora todos os dispositivos Ultrabook tenham design fino, há variações em relação a telas e resolução. Ao analisar o que você precisa, considere o tamanho da tela, espessura e peso. Você costuma apertar os olhos ao olhar para telas de laptop? Você carregará esse computador por todo o país? Se você puder, vá a uma loja e manuseie os vários dispositivos Ultrabook pessoalmente para ver qual é melhor para você.
  • Hardware—Todos os dispositivos Ultrabook HP têm processadores Intel Core de terceira geração, portanto você terá poder, não importa qual escolha. Quando se trata de armazenamento, pense sobre o quanto você realmente precisa para armazenar no computador e depois decida entre uma unidade de disco de estado sólido (SSD) ou tecnologia de cache flash. A maioria dos modelos também inclui a tecnologia Intel Rapid Start para que você possa começar em segundos quando a inspiração vier.
  • Conectividade – Também é importante pensar em como você gostaria de se conectar à internet, unidades externas, impressoras, etc. Todos os dispositivos Ultrabook HP têm portas USB, e alguns modelos também incluem portas VGA para conectar monitores e portas Ethernet para acesso a uma rede.

sábado, 31 de agosto de 2013

Notebook ou tablet?

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Se os rumores se concretizarem, 2013 será o ano em que a venda mundial de tablets vai superar a de notebooks. Na segunda metade de 2012, vimos um aumento na demanda por tablets graças aos novos tamanhos de tela e preços introduzidos. Na verdade, a venda de tablets já ultrapassou a de notebooks na China e na América do Norte.

Mas o que vai acontecer com os notebooks? Quando os notebooks foram apresentados ao mercado, a mobilidade oferecida por eles foi anunciada como um avanço tecnológico. Atualmente, a mobilidade é mais uma expectativa do que um avanço. Assim que os tablets foram lançados no mercado com um tamanho inferior ao dos notebooks e processadores tão poderosos quanto o dos notebooks, foi apenas uma questão de tempo para que o limite entre os notebooks e os tablets começasse a se fundir.

Apesar de uma redução mundial na demanda ter feito a remessa por notebooks diminuir, eles ainda não podem ser considerados "carta fora do baralho". A segunda metade de 2013 terá o lançamento de novos processadores para notebooks que oferecerão suporte a mais recursos de PC semelhantes a tablet e uma duração de bateria maior.

Porém se a força de trabalho de sua empresa é a mobilidade, provavelmente você não está preocupado com tendências líderes de vendas; você se preocupa em saber qual é a melhor tecnologia para sua empresa.

O que acontece com os notebooks
A primeira coisa a se fazer quando for decidir entre tablets e notebooks é desconsiderar o tamanho como um dos itens diferenciadores. É claro que o tamanho é um recurso importante, mas se for o único recurso no qual você está interessado, não há motivo para o conflito entre tablets e notebooks, basta escolher a opção menor.

Assim, restará apenas os elementos básicos de cada opção. O principal benefício do notebook é o hardware que vem automaticamente com ele, como tela grande e teclado físico. Notebooks são maiores do que tablets, não há o que discutir, e notebooks, como o HP EliteBook Folio, também oferecem telas maiores e resoluções melhores que nenhum tablet pode oferecer; Esse é um exemplo perfeito do motivo pelo qual o tamanho não deve ser o único recurso a considerar ao fazer uma compra. Exibir uma apresentação em um tablet pode ser conveniente, mas para impressionar de verdade um cliente, provavelmente seria melhor exibir a apresentação no notebook.

A tecnologia de toque melhorou drasticamente nos últimos anos, mas algumas pessoas irão sempre preferir seu teclado QWERTY físico. É mais fácil para digitar e mais preciso do que o teclado sensível ao toque. E por fim, mas não menos importante, os notebooks são robustos e resistentes. De fato, alguns notebooks foram construídos especificamente para isso. O tamanho pequeno do tablet significa mais delicadeza e por isso é fácil de quebrar.

O que acontece com os tablets
Surpreendentemente, os benefícios mais notáveis em um tablet não são todos os jogos incluídos nele, mas sim o quão leve ele é. O HP ElitePad pesa menos de 680 g, o que significa que você pode fazer o seu trabalho de praticamente qualquer lugar. Graças à tecnologia de toque, você pode ter controle total sobre todos os recursos e aplicativos com apenas o deslizar de um dedo; proporcionando a você uma abordagem ao seu trabalho literalmente prática. Enquanto os notebooks impressionam com o tamanho completo de resolução dos monitores, os tablets podem impressionar com recursos sensíveis ao toque que transformam demonstrações ou apresentações maçantes em experiências interativas.

A tela de toque também ajuda nas transações corporativas feitas quando se está fora do local de trabalho. Seja um cliente seu que precisa assinar eletronicamente um documento em sua tela ou a verificação de estoque com alguns toques na tela, o processo de compra e venda nunca foi tão dinâmico como o de hoje .

Uma das maiores coisas que diferenciam tablets de notebooks são os aplicativos. Assim como o próprio tablet, os aplicativos são desenvolvidos com foco em mobilidade, portanto a interface simples facilita o acesso às informações que você precisa. E não podemos esquecer da percepção que os tablets criam. Quando os clientes veem as empresas usando tablets, eles as veem como modernas e avançadas, acima da média em termos de compreensão tecnológica.

Por que escolher?
Quem disse que você precisa escolher entre usar o notebook ou o tablet? Por que não usar os dois? Na verdade, notebooks e tablets podem ser grandes parceiros de negócios. Ao unir os dois produtos, os trabalhadores móveis podem ter no tablet boa parte do mesmo acesso que eles têm no notebook (e vice-versa). Ou talvez você queira a flexibilidade do tablet com a potência do notebook. Produtos como o HP EliteBook Revolve se adaptam a qualquer situação, facilitando para você o aproveitamento dos benefícios de ambos.

Se você está tentando se decidir entre tablets e notebooks, você precisa olhar para eles no que se refere à maneira como você os utilizará. Você precisa de algo que execute tarefas críticas ou tarefas rápidas? Os notebooks são bons para o primeiro, e os tablets (e em alguns casos, os notebooks) são bons para o segundo.

Contanto que você esteja preparado para fazer certas pesquisas e planejamentos, e que sua empresa esteja comprometida com a implementação de qualquer tecnologia que escolherá comprar, realmente não há resposta errada.

sábado, 24 de agosto de 2013

Dicas de PowerPoint para melhorar suas apresentações

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Pense em sua última apresentação de negócios. Você estava com pressa para concluí-la dentro do tempo estabelecido? Você conseguiu transmitir a sua mensagem sem ler nos slides palavra por palavra? Seu público estava vidrado em você ou prestes a dormir?

No mundo dos negócios, em que as apresentações são a forma mais popular de comunicação em grupo, uma apresentação cuidadosamente elaborada no Microsoft® PowerPoint pode ser a diferença entre o sucesso e uma briga. Abaixo, há algumas dicas que farão sua apresentação ficar mais impressionante e mais objetiva.

Organize sua apresentação
Organização é a chave para qualquer projeto de negócios, mas especialmente ao elaborar uma apresentação no PowerPoint. Afinal, casa limpa, mente limpa. Eis algumas dicas para estruturar um PPT organizado.

  • Antes de começar, planeje sua apresentação esquematizando a estrutura ou os assuntos em um rascunho.
  • Assim que organizar o fluxo, construa a estrutura da sua apresentação, dividindo os assuntos em capítulos e separando cada capítulo com um slide de transição limpo e corretamente intitulado.
  • Os slides de resumo podem ser uma ótima maneira de rever a grande quantidade de assuntos e imagens, mas use-os com moderação. Pense nos pontos da apresentação que você deseja que o público compare ou chegue a uma conclusão; os slides de resumo podem ser uma maneira inteligente de facilitar a tomada de decisões.

Elaborar slides limpos
Após ter estruturado a apresentação, é hora de desenvolvê-la. Lembre-se: o ponto principal de qualquer apresentação é fornecer conteúdo para o público. Mas principalmente na arte do PowerPoint, o menos sempre é mais. Tente aplicar essas dicas de desenvolvimento de conteúdo para deixar sua mensagem bem direta.
  • Evite modelos pré-elaborados, sempre que possível. Os modelos podem fazer você sentir como se precisasse preencher os slides com os espaços fornecidos. Em vez disso, pense na mensagem principal de cada slide e desenvolva-os desde o início para transmitir a mensagem.
  • Limite o texto. Não há necessidade de escrever sentenças ou parágrafos completos em um slide. Use palavras-chave e concentre-se em usar verbos de ação e palavras de poder. Se você acabar tendo de colocar negrito, sublinhado ou itálico no conteúdo para dar ênfase, você simplesmente se excedeu na quantidade de texto.
  • Use gráficos ou imagens com moderação. Recursos visuais em excesso no slide confundem o público e faz com que eles se concentrem em decifrar as imagens, em vez de se concentrarem no que você está dizendo.
  • Limite ou elimine o uso de animações. Claro, eles podem ser legais e consolidar muitas informações em um único slide, mas podem fazer sua audiência se concentrar na ação da tela, em vez de se concentrarem no que você está dizendo.

Mostrar e explicar
Agora que os slides foram elaborados, volte e pense em como você poderia enxugar sua apresentação ainda mais. Cada apresentação verdadeiramente bem-sucedida de PowerPoint consiste no equilíbrio entre o que você diz e o que você mostra. Use essas dicas para encontrar a combinação ideal entre mostrar e explicar.
  • Finja que você fará a apresentação sem nenhum slide. Como você ajustaria sua narração para compensar? Agora, comece adicionando somente os slides que ajudam você a destacar, e não repetir, os pontos que você falará em voz alta.
  • Nunca leia diretamente dos slides; sua narração deverá contar a história com suas próprias palavras.
  • Deixe os slides curtos e claros; seu público deve entender o assunto de cada slide em três segundos. Se isso não for possível, há conteúdo em excesso.
  • Use as notas do orador na parte inferior de cada slide usando a ferramenta de acionamento acima da barra de rolagem horizontal (ou acesse a adapte as notas abrindo a tela de visualização "Anotações"). Isso permitirá que você organize seus pensamentos e que você os veja na tela do apresentador, mas eles não serão exibidos para o público no projetor ou segundo monitor.
  • Corte slides e seja flexível com sua narração. Não se pode excluir slides às pressas, mas é possível estender ou encurtar seu diálogo para se manter dentro do tempo estabelecido.

Dica para PowerPoint Pro: Domine o slide oculto
Há muita informação incluído em seu PowerPoint? Você pode ser tentado a excluir slides e perder informações para sempre. Porém há uma maneira mais inteligente de manter suas informações intactas, mas reduzir o número de slides exibidos.

Usar a função de slide oculto é uma maneira inteligente de consolidar informações e ser mais flexível no tamanho de sua apresentação. Informações secundárias ou aprofundadas podem ser ocultadas, de forma que não sejam exibidas na apresentação de slides principal, mas possam ser acessadas caso sejam necessárias para ilustrar um ponto com mais detalhes de última hora.

Quando você oculta um slide, ele permanece no arquivo embora não seja visto quando se executa a apresentação no modo Apresentação de Slides. É possível ativar e desativar a opção "Slide Oculto" individualmente para cada slide da apresentação. Saiba como:
  • No painel que contém as guias Slides e Tópicos, clique na guia "Slides".
  • Execute uma das seguintes ações:
  1. Para ocultar um slide, clique com o botão direito no slide que deseja ocultar e clique em "Ocultar Slide". O ícone de slide oculto aparecerá com o número do slide no interior, ao lado do slide que você ocultou.
  2. Para exibir um slide que você ocultou, clique com o botão direito naquele que deseja exibir e clique em "Ocultar Slide" novamente para fazê-lo reaparecer.

Dica rápida: Se você estiver no modo Apresentação de Slides e decidir que deseja exibir um slide oculto, é possível clicar com o botão direito do mouse no slide atual, clicar em "Ir para o Slide" e depois clicar no slide que você deseja reexibir na apresentação visual.

Dica para PowerPoint Pro: Usar o Modo de Exibição do Apresentador
Você sempre se perguntou se há alguma maneira de ver as notas do apresentador em seu laptop sem mostrá-las para o público? Deseja acessar outros programas ou documentos sem interromper o fluxo de sua apresentação? Há uma maneira simples de fazer esses truques e muito mais: Modo de Exibição do Apresentador.

O Modo de Exibição do Apresentador permite que você:
  • Veja suas notas enquanto o público vê a apresentação no monitor ou projetor.
  • Atualize sua apresentação ou destaque as passagens essenciais em tempo real
  • Acesse outros aplicativos ou documentos sem que o seu público veja
  • Pule para algum slide da apresentação clicando na miniatura do slide requerido
  • Mude a tela do público para preto ou branco usando o botão "Opções da Apresentação de Slides"; esse é útil principalmente quando se deseja dar uma pausa na apresentação em caso de discussões ou sessão de perguntas e respostas
  • Avalie a extensão da apresentação e a quantidade de slides que você reviu

Para ativar o Modo de Exibição do Apresentador, basta seguir estas etapas fáceis:
  1. Configure um monitor ou projetor adicional em seu computador
  2. Clique na guia "Apresentação de Slides" na faixa de opções
  3. Marque a caixa "Usar Modo de Exibição do Apresentador" no grupo Monitores
  4. Clique na seta da lista "Mostrar Apresentação em:" e selecione o monitor no qual você deseja exibir a apresentação para o público
  5. Com o Modo de Exibição do Apresentador ativado, pressione F5 para iniciar a exibição de slides.

OBSERVAÇÃO: Se você não tiver dois monitores configurados no computador, será exibida uma mensagem pop-up de erro. É possível usar o Modo de Exibição do Apresentador apenas com dois ou mais monitores.

Por fim, o Microsoft PowerPoint é uma ferramenta de comunicação incrivelmente útil, mas somente se você utilizá-la para enriquecer sua apresentação, não sobrecarregá-la de informações. Se existe uma regra-chave que se deve ter em mente, ela é: o menos é mais. Mantenha sua apresentação visualmente curta e inteligente, e você será surpreendido pela maneira como os roncos se transformarão em aplausos.

*Todas essas dicas se baseiam no Microsoft Office PowerPoint 2010 (Windows), mas outras versões oferecem funcionalidades idênticas ou parecidas. Os menus e o desempenho podem ser diferentes. Microsoft e PowerPoint são marcas comerciais registradas da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e em outros países.

sábado, 17 de agosto de 2013

Novas dicas para aproveitar melhor o Microsoft Excel

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Na maioria das configurações de escritório, há uma unidade compartilhada em que as equipes podem armazenar arquivos comuns para todos usarem. O compartilhamento de documentos podem levar a maiores eficiência e colaboração, mas também pode se tornar uma dor de cabeça, quando vários usuários estiverem acessando e adaptando o mesmo conteúdo – especialmente quando se trata do Microsoft® Excel®.

Com isso em mente, eis algumas dicas novas para usar o Excel e deixar a colaboração no escritório mais suave e inteligente.

Compartilhar pastas de trabalho

Se você compartilha documentos, este aviso pode ser familiar para você: “O documento [nome do arquivo] está bloqueado para edição por outro usuário.”

Ele aparece porque alguém já está com o arquivo aberto. Mas, às vezes, você precisa que vários usuários editem um arquivo de uma vez só. Manter apenas uma pasta de trabalho pode resultar em menos confusão e em uma versão atualizada e facilmente acessível do arquivo para todos os usuários.

Para habilitar uma pasta de trabalho compartilhada, faça o seguinte:
  • Na guia Revisão, no grupo Alterações, clique em Compartilhar Pasta de Trabalho.
  • Na guia Edição, selecione Permitir alterações por mais de um usuário ao mesmo tempo. Permite também mesclar a pasta de trabalho.
  • Na guia Avançadas, marque as opções que você deseja usar para monitorar e atualizar alterações e clique em OK.
  • Execute uma das seguintes ações:
    - Se esta for uma nova pasta de trabalho, digite um nome na caixa Nome do arquivo.
    - Se for uma pasta de trabalho existente, clique em OK, para salvar a pasta de trabalho, clique na guia Arquivo e em Salvar como.
Agora, a sua pasta de trabalho estará compartilhada e poderá ser editada por várias pessoas, ao mesmo tempo. Quando alguém editar o arquivo e o salvar, todos verão as atualizações imediatamente. Há uma guia Avançadas nessa caixa de diálogo, também, mas ela serve principalmente para preferências de personalização, como sobre como as alterações são monitoradas e implementadas no arquivo. Também é uma boa ideia olhar as opções avançadas, para ter uma ideia de como a pasta de trabalho compartilhada funciona.

Controlar alterações

Você também pode controlar as alterações em uma pasta de trabalho compartilhada, para ver o que outras pessoas fizeram com ela.

Para ativar o controle de alterações em uma pasta de trabalho:
  • Na guia Revisão, no grupo Alterações, clique em Compartilhar Pasta de Trabalho.
    Na guia Edição, selecione "Permitir alterações por mais de um usuário ao mesmo tempo".
  • Clique na guia Avançadas.
  • Em Controlar alterações, clique em "Manter histórico de alterações por" e, na caixa de dias, digite o número de dias de histórico de alterações que você deseja manter.
  • Clique em OK e, se você for solicitado a salvar a pasta de trabalho, clique em OK.
Para ver as alterações controladas:
  • No menu Ferramentas, aponte para Controlar alterações e clique em Realçar alterações.
Se a caixa de seleção “Controlar alterações durante a edição” não estiver selecionada, o Microsoft Excel não terá gravado nenhum histórico de alterações para a pasta de trabalho.

Alguns recursos não incluídos

É muito importante notar que o Excel automaticamente desativa alguns recursos nas pastas de trabalho compartilhadas. Isso é feito para simplificar a pasta de trabalho e evitar confusões, já que várias pessoas podem estar trabalhando no arquivo ao mesmo tempo. Por exemplo, as pastas de trabalho compartilhadas não permitem mesclar células, aplicar formatação condicional ou inserir imagens ou gráficos – e algumas alterações de formatação não são controladas pelo recurso Controlar Alterações.

Se você for o proprietário de uma pasta de trabalho compartilhada, poderá gerenciá-la, removendo os usuários da pasta de trabalho compartilhada e resolver conflitos em alterações. E, quando todas as alterações tiverem sido feitas, você poderá parar de compartilhar a pasta de trabalho.

Comparar e mesclar pastas de trabalho

Quando for hora de verificar as atualizações feitas por outros usuários e compilar a versão final do documento, o proprietário da pasta de trabalho pode comparar e mesclar pastas de trabalho, usando o comando de mesmo nome. Esse comando não está disponível com outros comandos de pasta de trabalho compartilhada, na guia Revisão do grupo Alterações, mas você pode adicioná-lo à Barra de Ferramentas da Faixa.

Para obter o botão “comparar e mesclar pastas de trabalho”, faça o seguinte:
  • Clique na guia Arquivo e em Opções do Excel.
  • Em Personalizar Faixa de Opções, na lista Escolher comandos em, clique em Todos os Comandos.
  • Nessa lista, clique em Comparar e mesclar pastas de trabalho, clique em Adicionar e em OK.
    * Os comandos também podem ser adicionados aos grupos personalizados, de modo que você precisará criar pelo menos um deles, em algum lugar, para prosseguir. Primeiro, você precisa adicionar um grupo personalizado a uma guia padrão ou a uma guia nova, personalizada.
  • Abra a cópia da pasta de trabalho compartilhada na qual você deseja mesclar as alterações.
  • Na Barra de Ferramentas da Faixa, clique em Comparar e mesclar pastas de trabalho.
  • Se solicitado, salve a pasta de trabalho.
  • Na caixa de diálogo "Selecionar arquivos para mesclar na pasta de trabalho atual", clique em uma cópia da pasta de trabalho que contém as alterações que você deseja mesclar e clique em OK.
Todos os usuários da pasta de trabalho compartilhada devem salvar uma cópia que contenha suas alterações, usando um nome de arquivo exclusivo, diferente do usado na pasta de trabalho original. Todas as cópias devem estar localizadas na mesma pasta da pasta de trabalho compartilhada.

Lembre-se: você só pode mesclar uma pasta de trabalho compartilhada a cópias realizadas a partir da mesma pasta de trabalho compartilhada.

Compartilhamento para produtividade e lucro

Compartilhar uma pasta de trabalho pode parecer um transtorno, mas com alguns preparativos iniciais você pode facilitar as coisas e evitar problemas para você e sua equipe na hora de consolidar e finalizar uma pasta de trabalho. Além disso, com um uso inteligente do recurso de controle de alterações, você pode garantir que nada passe em branco pelo seu processo de revisão.

Com essas dicas, é fácil assegurar uma colaboração rápida e consistente com documentos do Excel para qualquer equipe de escritório.


*Todas essas dicas se baseiam no Microsoft Office Excel 2010 (Windows), mas outras versões do Excel oferecem funcionalidades idênticas ou parecidas (os menus e o desempenho podem ser diferentes). Microsoft e Excel são marcas comerciais registradas da Microsoft Corporation nos Estados Unidos e em outros países.

sábado, 10 de agosto de 2013

O fenômeno das #hashtags

Fonte: HP - Tecnologia @ Negócios


Elas são símbolos simples, duas linhas cruzadas sobre duas outras linhas. São usadas para indicar números em inglês, e assinalavam valores em libras em computadores antigos. Servem a diferentes propósitos linguísticos, matemáticos e computacionais. Obviamente, estamos falando do símbolo #. Trata-se de um símbolo simples, porém cada vez mais influente.

Hoje, o símbolo # é usado para criar “hashtags” em postagens de mídia social de sites como Twitter e Facebook. Uma hashtag é formada pelo símbolo # seguido de uma palavra ou frase.

As hashtags criam um sistema de agrupamento de mensagens, permitindo que os usuários de mídia social vejam conteúdo, como tweets, de pessoas que não seguem. Ou seja, se você procurar por #gatos no Twitter, vai encontrar muito conteúdo sobre gatos.

Explorar assuntos usando hashtags é simples. No Facebook e no Twitter, é possível clicar nas hashtags. Você só precisa selecionar a hashtag desejada para ler mais sobre o assunto. Você também pode pesquisar usando hashtags em vez das palavras-chave tradicionais, mas há uma diferença entre esses dois tipos de pesquisa. Hashtags sempre são escritas sem espaços, e podem não conter palavras normais. Isso significa que pesquisas por “#EuAmoGatos” e “Eu amo gatos” rendem resultados diferentes.

Você não está meramente enviando mensagens a um grande espaço aberto para que os outros a leiam; ao usar hashtags, você está participando de uma conversa. Sua voz pode ser ouvida, seja qual for o assunto: eventos esportivos, questões políticas ou as últimas notícias.

Como usar uma hashtag

É muito fácil usar hashtags. Porém, é importante ter algumas coisas em mente ao usá-las.

Recomenda-se que as hashtags sejam breves e concisas, para que as mensagens sejam agrupadas facilmente a outras relacionadas ao mesmo assunto. Uma pesquisa no Twitter por #gatos retorna uma grande quantidade de tweets publicados nas últimas 24 horas, mas #meugatodoido talvez nem gere resultados. Resumindo, quanto mais simples a hashtag, maior o agrupamento.

As hashtags podem ser incluídas em qualquer lugar, tanto no fim de uma postagem quanto no meio dela. Tanto “Estou doido para viajar nas férias! #Paris” quanto “#Paris, aí vamos nós!” são postagens corretas. Também é comum o uso de várias hashtags em uma mesma postagem. Mais uma vez, seja o mais simples possível: Por exemplo, “Não acredito que a #Espanha ganhou a #copadomundo”, ou “A queima de fogos vai ser linda #réveillon #copacabana”.

É importante observar que os usuários podem participar de grupos de assuntos sem escrever palavras-chave na mensagem em si, como vimos com o uso de “réveillon” como hashtag fora da mensagem.

Quando uma mensagem tem hashtags demais, fica difícil de ler e perde o sentido. “As #Olimpíadas de #Londres de #2012 foram #incríveis. Mal posso #esperar pelas do #Rio. #atletas #medalhadeouro” é uma mensagem confusa, e as pessoas têm dificuldade em achar as informações.

Uma janela para o mundo

As hashtags oferecem um vislumbre dos assuntos importantes para as pessoas e o mundo em um dado momento. Em 2011, a duas hashtags mais usadas no Twitter foram totalmente diferentes: #egypt (Egito) e #tigerblood (sangue de tigre). Uma se refere às turbulências de um país, e a outra aos excessos de um ator norte-americano. As hashtags nos ajudam a compartilhar nosso amplo espectro de pensamentos e sentimentos.

Imagine se a mídia social existisse em uma década dinâmica e turbulenta como a dos anos 60. Talvez algumas hashtags populares fossem: #TheBeatles, #HomemNaLua, #JFKAssassinado, #MuroDeBerlim e #GuerraDoVietnã. As vozes de milhões de pessoas em momentos históricos importantes teriam sido registradas facilmente.

Hashtags para profissionais de marketing

Para as empresas, as hashtags são uma ferramenta vital para a avaliação do impacto das marcas e das campanhas publicitárias. Não só as empresas podem medir sua popularidade com base na quantidade de vezes em que uma hashtag específica foi usada, como também podem ver o que as pessoas estão dizendo. Com isso, as hashtags oferecem quantidade e qualidade.

Hoje, cada vez mais anunciantes usam hashtags como âncoras de campanha. Seja em uma nova promoção da Coca-Cola ou na divulgação de um filme blockbuster que chegará aos cinemas nas férias, as hashtags são essenciais. Elas são usadas até fora do mundo on-line. O hábito de assistir TV e navegar na Web ao mesmo tempo tem forte apelo entre os profissionais de marketing, então um comercial de TV da Coca-Cola pode sugerir que os usuários postem no Twitter com a hashtag #CocaColaVivaPositivamente.

E com o aumento no uso de dispositivos móveis, um outdoor pode incentivar as pessoas a postar usando hashtags mesmo em trânsito para uma maior interação com suas marcas favoritas ou acesso a descontos e informações.

Comentários em tempo real

As pessoas também podem postar mensagens negativas sobre marcas facilmente. Se um cliente posta no Twitter sobre a experiência ruim que teve em uma loja, incluindo o nome da loja na hashtag, é bem provável que a equipe de marca da empresa veja a postagem. O lado bom disso é que a empresa pode entrar em contato com o cliente e resolver eventuais problemas, quando possível.

O hábito que os telespectadores têm de postar comentários no Twitter sobre o programa que estão assistindo permite que as redes de TV monitorem facilmente as reações do público. As hashtags criam um grupo de foco sem que seja necessário reunir pessoalmente os participantes em um canal de duas vias: você só precisa do telespectador, onde quer que ele esteja, e da tela do computador.

O futuro das hashtags

Não esqueça que as hashtags ainda estão evoluindo. Em fevereiro de 2013, seu uso deu um grande passo com a parceria entre o Twitter e a American Express. Vinculando suas contas da American Express e do Twitter, os usuários podem postar hashtags específicas no Twitter e adquirir produtos diretamente pela rede social. Cada produto (o Kindle da Amazon, por exemplo) tem sua própria hashtag. Os usuários só precisam postar a hashtag designada no Twitter e esperar o código de confirmação. Depois disso, eles têm 15 minutos para postar o código novamente e finalizar o pedido.

E agora a programação do Facebook foi adaptada para reconhecer hashtags, criando milhares de conversas para mais de um bilhão de usuários. As hashtags do Facebook dão aos usuários mais um motivo para investir seu tempo na rede, o que se traduz em mais oportunidades para que os profissionais de marketing identifiquem seus focos de interesse.

O que o futuro nos reserva?

Ainda que nomes importantes do setor digital como Facebook e Twitter estejam no comando, há muitas iniciativas on-line que podem influenciar o futuro das hashtags. Será que serviços de e-mail como o Gmail vão incorporar hashtags? Ou será que as hashtags vão se tornar tão comuns ao ponto de perder o impacto? Se todos os sites adotarem as hashtags, será que elas não vão se tornar um fardo para os usuários? Ou será que o uso cada vez maior desse recurso ajudará os usuários a localizar as informações que procuram e transformará as hashtags no idioma padrão da Web?

Nossas experiências digitais continuam evoluindo, e as hashtags precisam acompanhar esse ritmo. Elas podem ser só duas linhas cruzadas sobre duas outras linhas, mas pelo visto as #hashtags são realmente #imbatíveis.